PUBLICIDADE
Topo

Brasileiro feminino 'mais disputado da história' começa; saiba detalhes

Renata Mendonça

07/02/2020 13h19

Foto: Divulgação Ferroviária

O Campeonato Brasileiro feminino começa neste fim de semana na primeira divisão. Serão 16 equipes buscando o título a partir deste sábado naquele que os treinadores das principais equipes estão considerando "o torneio mais disputado de todos os tempos".

+Só 2 mulheres comandam times do Brasileiro; gestão também é masculina
+Brasileiro feminino de 2020 terá número recorde de times profissionais

Serão 8 times considerados "de camisa" entre os 16 na disputa – nunca houve um número tão grande de equipes vindas do futebol masculino. Isso significa um investimento maior e ainda mais competitividade entre os times. No ano passado, Corinthians e Ferroviária disputaram o troféu. Neste ano, a temporada começa com mais quatro times grandes na primeira divisão – São Paulo, Cruzeiro, Grêmio e Palmeiras. E para já começar com tudo, o Brasileiro já tem dérbi feminino acontecendo no primeiro fim de semana.

Desde o ano passado, uma parceria entre CBF e a plataforma de streaming MyCujoo garantiu a transmissão de todos os jogos da primeira e segunda divisão.

Andressinha é o grande reforço corintiano (Foto: Divulgação / Corinthians)

Segundo dados da plataforma compartilhados com a reportagem, o tempo médio de reprodução por usuário é 40% maior ao assistir jogos de futebol feminino, em relação ao masculino. Em 2019, foram 3,56 milhões de visualizações das partidas de futebol feminino, com a transmissão de mais de 3 mil confrontos da modalidade.

Resumimos aqui as expectativas para os primeiros confrontos da temporada e as informações sobre como assistir aos jogos:

Sábado, 8/2

Avaí Kindermann x Vitória-BA em Caçador – 15h, transmissão na CBFTV via MyCujoo)
Terceiro colocado no Brasileiro de 2019, o Avaí Kindermann juntou um time tradicional da categoria (Kindermann) com a estrutura fornecida pelo Avaí e conta principalmente com a experiência e liderança da goleira da seleção brasileira, Bárbara, para seguir em busca do título. O técnico do time ainda é Jorge Barcellos, vice-campeão mundial com a seleção brasileira em 2007, ressalta que o grande mérito da equipe é manter a base e fazer investimentos pontuais para se reforçar a cada temporada. Com isso, o time chega pra brigar pelo título.

Avaí Kindermann x Flamengo Brasileiro Feminino (Foto: Andrielli Zambonin / Avaí Kindermann)

Já o Vitória é uma equipe que sofreu perdas de orçamento e agora disputará a primeira divisão com a equipe sub-20. Sendo assim, o desafio maior será se manter na elite e fugir do rebaixamento na temporada.

Grêmio x Minas ICESP no Francisco Novelleto (Porto Alegre) – 17h, transmissão na CBFTV via MyCujoo
Estreia do Grêmio na primeira divisão, o time gaúcho já soma três anos de projeto no futebol feminino e busca seu espaço entre os principais da modalidade. Ainda atrás do maior rival Inter (que já estava na primeira divisão), as gremistas têm o desafio de tentar chegar no mata-mata da competição e quem sabe incomodar as equipes que contam com mais investimento.

O Minas ICESP é uma equipe criada por mulheres que decidiram investir no futebol feminino de Brasília e conseguiram manter o time na primeira divisão mesmo em meio aos altos investimentos dos times de camisa que chegaram. O objetivo agora ainda é o mesmo: se manter na elite.

Reapresentação do elenco gremista (Foto: Morgana Schuh / Grêmio FBPA)

Ferroviária x Audax na Fonte Luminosa (Araraquara) – 17h, transmissão na CBFTV via MyCujoo
Campeão brasileiro de 2019, a Ferroviária manteve sua treinadora Tatiele Silveira e algumas de suas principais jogadoras e também vai em busca de se manter no topo nesta temporada. Com craques como Aline Milene no ataque, e Luciana no gol, o time ainda ganhou alguns reforços (como a atacante Patricia Sochor, do Santos) e agora tem por objetivo chegar o mais longe possível no mata-mata.

Já o Audax é um time que teve mudança de gestão e ainda tem alguma dificuldade para brigar com times de maior orçamento. Em 2019, a equipe chegou às quartas-de-final do campeonato e essa é a meta da temporada – o que já é um desafio maior agora com 8 times de camisa na competição.

Santos x Flamengo Ulrico Mursa (Santos) – 17h, com transmissão da CBF TV via MyCujoo
O confronto é interessante porque marca o reencontro de várias atletas que trocaram de um clube para o outro. O Santos contratou cinco jogadoras do Flamengo, enquanto a meia Kelly saiu da equipe santista e foi para o time carioca. São dois times que passaram por grandes reformulações, com muitas mudanças no time titular e será interessante observar como isso funcionará em campo.

São duas equipes que acabaram ficando um pouco para trás em relação a investimentos como o do Corinthians nos últimos anos, mas que com certeza vão brigar por título em 2020. Esse jogo ainda marcará a estreia de Cristiane pelas Sereias da Vila que, mais uma vez, não jogarão na Vila, e sim no Ulrico Mursa.

Foto: Divulgação Santos FC

Domingo, 9/2

Palmeiras x Corinthians no Nelo Bracalente (Vinhedo) – 14h, transmissão da Band
Jogo mais aguardado desta rodada. Um dérbi feminino volta a acontecer após quase 20 anos – o último foi em 2001 pelo Campeonato Paulista. E será a primeira vez que esses dois times vão se enfrentar por uma competição nacional. O Corinthians, que não perde há 45 jogos e terá a estreia de Andressinha, jogadora de seleção brasileira, e o Palmeiras que se reforçou com um pacote de grandes jogadoras, como a meia-atacante Rosana, a atacante Ottilia, as meias Ary Borges e Angelina, entre outras.

O jogo será em Vinhedo, infelizmente com torcida única.

Foto: Divulgação Palmeiras

Internacional x São José no estádio do Vale (Novo Hamburgo) – 15h com transmissão da CBF TV via My Cujoo
O Internacional caiu nas quartas-de-final do Brasileiro em 2019 e quer ir mais longe em 2020. Terá os reforços da atacante Byanca Brasil, a meia-atacante Djeni Becker e ainda manteve a lateral Fabi, um dos destaques do time e da seleção brasileira. O São José é uma das equipes mais tradicionais do futebol feminino e, apesar de ter perdido algumas atletas (três para o Flamengo, uma para o Corinthians), segue com o objetivo de chegar pelo menos até as quartas, como aconteceu no ano passado.

Reapresentação das gurias coloradas (Foto: Reprodução Twitter/Gurias Coloradas)

Ponte Preta x Iranduba no Moisés Lucarelli (Campinas) – 15h, com transmissão da CBF TV via MyCujoo
A Ponte é um time que começou 2019 com o projeto liderado por Doroteia Inojo, muito conhecida no futebol feminino pelo sucesso do seu trabalho no Rio Preto. No entanto, houve muitas modificações de uma temporada pra outra, troca de técnico e de responsáveis pelo futebol feminino no clube. Em 2019, o time de Campinas ficou na última posição acima da zona de rebaixamento e, neste ano, o objetivo é se manter na elite.

O Iranduba já foi o time sensação do futebol feminino, mas teve mudanças de gestão e sofreu com a saída da sua principal jogadora, Djeni Becker, nesta temporada. Em 2019, o time ficou fora do mata-mata e agora busca voltar para brigar por posições mais altas na tabela.

Segunda, 10/2

Cruzeiro x São Paulo no estádio das Alterosas (BH) – 19h com transmissão pelo @Brfeminino
Essa será a reedição da final da série A2 do Brasileiro de 2019, que terminou com o São Paulo campeão. Dois times que tiveram reformulações e mudanças no elenco e agora buscarão sucesso na primeira divisão. O Cruzeiro perdeu seu técnico (foi para o Atlético-MG) e terá o auxiliar do ano passado, Jorge Victor, no comando. O São Paulo manteve o treinador, mas teve cinco reforços chegando e saídas de algumas das principais jogadoras da última temporada – as atacantes Valéria, Ottilia e Cristiane, a zagueira Antonia, a meia Ary Borges.

Foto: Igor Amorim / saopaulofc.net

O time tricolor teve como grande contratação uma das artilheiras de 2019, Glaucia, que brilhou pelo Santos. O Cruzeiro teve grande mérito em manter suas principais craques, Duda e Miriã, e promete também beliscar uma vaga no mata-mata. Será um confronto interessante, o único da segunda-feira om transmissão no Twitter.

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras