Topo
Dibradoras

Dibradoras

São Paulo goleia Cruzeiro e fica perto do título brasileiro na 2ª divisão

Dibradoras

18/08/2019 16h22

Foto : Mauro Horita / Mowa Press

*Por Roberta Nina, do Pacaembu (SP)

O São Paulo recebeu o Cruzeiro no Pacaembu neste domingo para começar a decidir o título do Campeonato Brasileiro feminino na segunda divisão, e a equipe paulista conseguiu uma excelente vantagem. Com gols de Bruna, Yaya, Valeria e Cris, o time da casa venceu as mineiras por 4 a 0 e leva excelente vantagem para o jogo da semana que vem, no Mineirão.

O jogo aconteceu no Pacaembu e teve uma presença interessante do público, mas poderia ter sido bem melhor. Marcado para 14h deste domingo por conta da transmissão da Band, a partida acabou dividindo os torcedores do São Paulo entre a final feminina e a estreia de Daniel Alves às 16h no Morumbi. O cenário não foi o ideal, mas a equipe tricolor não conseguiu mudar a partida das mulheres – a ideia era, inclusive, levar o jogo delas para o Morumbi, mas por conta dos horários das transmissões de TV dos dois jogos, a mudança não foi possível.

Mas quem esteve no Pacaembu ou acompanhou o jogo pela TV não pode reclamar do espetáculo em campo. Um jogo do mais alto nível, bastante equilibrado no início e com a equipe são-paulina se sobressaindo após o primeiro gol, que veio com um frango da goleira cruzeirense Renata.

Com a vantagem de 4 a 0 no marcador após os 90 minutos, o São Paulo construiu uma vantagem importantíssima para a próxima partida em Belo Horizonte. A equipe paulista só perde o título se perder por cinco gols de diferença. Qualquer vitória cruzeirense por quatro gols leva a decisão para os pênaltis.

Foto : Mauro Horita/Mowa Press

O jogo

O Cruzeiro começou melhor na partida, mantendo sua característica de sair jogando e ir para cima do adversário. Mas a marcação alta das são-paulinas impedia as mineiras de chegarem com mais perigo. Ainda assim, a goleira Carla precisou fazer algumas boas defesas para impedir que as visitantes abrissem o placar.

O São Paulo, por sua vez, estava encontrando dificuldades para chegar na área cruzeirense, com erros de passe que acabavam gerando contra-ataques das adversárias. No entanto, um lance chave para a partida veio aos 16 minutos do primeiro tempo, quando Bruna arriscou um cruzamento de longe que foi direto para o gol. Era uma defesa tranquila para a goleira Renata, mas a bola escorregou das mãos dela e foi para o fundo do gol: 1 a 0 para as donas da casa.

Seis minutos depois, o São Paulo ampliaria o marcador, desta vez com um golaço de Yaya. A jogadora são-paulina acertou um chutaço no ângulo, sem a menor chance para a defesa da goleira cruzeirense.

O Cruzeiro sentia falta de sua principal jogadora, a camisa 10, Duda que foi muito bem marcada pela defesa tricolor.

Foto: Mowa Press

No segundo tempo, o São Paulo não recuou e logo fez o terceiro, com Valéria pegando a sobra da defesa e empurrando a bola para as redes aos 13 minutos. A equipe adversária tentava voltar para o jogo e ameaçar o time da casa, que marcava em cima e impedia o Cruzeiro de chegar. Ainda assim, Carla precisou fazer pelo menos três defesas impressionantes, uma delas num chutaço de Duda de fora da área. A torcida reconheceu o esforço da goleira e gritou o famoso canto "p*** que pariu, é a melhor goleira do Brasil, Carla".

Para fechar a goleada, foi a vez de Cris deixar o seu de cabeça aos 21 minutos do segundo tempo.

Uma exibição de gala da equipe tricolor, que voltou a se encontrar em campo depois de dois jogos abaixo do nível técnico que costuma jogar – diante do Palmeiras, na semifinal, o São Paulo teve bastante dificuldades e por muito pouco não acabou eliminado da competição.

De volta ao estilo de toque de bola que é tradicional da equipe de Lucas Piccinato, o time paulista se impôs em campo mesmo com desfalques importantes, como o da camisa 10 e capitã Ary, que estava suspensa na partida. A atacante da seleção brasileira Cristiane também não pode atuar porque ainda se recupera de lesão na coxa.

"A gente não esperava (esse resultado). A gente achou que ia ser difícil, mas ainda bem que as bolas entraram", afirmou Cris, responsável pelo quarto gol são-paulino. Perguntada se ainda havia chance de perder o título no próximo jogo, ela foi sincera: "Só se o sobrenatural acontecer, mas vamos trabalhar para que não aconteça", disse.

Estavam presentes no Pacaembu membros da comissão técnica da seleção brasileira feminina e também a treinadora Pia Sundhage, que fará sua primeira convocação nesta terça-feira. Bia Vaz, assistente técnica, Fabinho preparador físico, e Capelli, fisiologista, além do coordenador de futebol feminino da CBF, Marco Aurélio Cunha, também estavam no estádio ao lado da técnica.

O próximo jogo que definirá o campeão brasileiro da segunda divisão acontecerá no domingo, dia 25 de agosto, às 14h, no Mineirão, com transmissão da Band.

 

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Mais Dibradoras