Topo
Dibradoras

Dibradoras

Seleção feminina na TV aberta alcançou 32 mi; buscas no Google disparam

Renata Mendonça

11/06/2019 06h47

Foto: CBF

O Ibope finalmente divulgou os dados consolidados de audiência da estreia da seleção brasileira feminina contra a Jamaica no domingo. Foram duas TVs abertas transmitindo, além de um canal fechado, e milhões de brasileiros ligados no futebol das mulheres.

Somando os canais de TV aberta, o alcance medido pelo Ibope das transmissões da seleção feminina chegou a 32 milhões de pessoas. A Globo, que costuma marcar 10 pontos de audiência com o Esporte Espetacular aos domingos de manhã, desta vez chegou a bater os 20,2. Isso significa quase 20 milhões de pessoas assistindo ao jogo entre Brasil e Jamaica pela emissora.

+ O impacto da Copa feminina e da estreia do Brasil nas redes sociais

Para se ter ideia, o futebol às quartas-feiras na Globo costuma bater 20 e poucos pontos. Então esses números do futebol feminino foram considerados bastante expressivos pela emissora, que teve seu principal narrador, Galvão Bueno, no comando da transmissão. A novidade ficou por conta da presença de Ana Thais Matos nos comentários ao lado de Caio Ribeiro – ela foi a primeira mulher a comentar um jogo na Globo.

Na Band, a audiência também atingiu cerca de 1,3 milhão de pessoas. E no caso do Sportv, os números dobraram se comparados aos da transmissão da estreia do Brasil na última Copa do Mundo feminina em 2015. À época, o canal chegou a 0,82 na audiência, e desta vez, a partida que terminou em 3 a 0 diante da Jamaica somou 1,73 ponto.

Foto: Museu do Futebol

São números que mostram otimismo para o futebol das mulheres, que por muitos anos ficou sem qualquer visibilidade na televisão e agora mostra seu potencial. Já na Olimpíada do Rio, a quarta maior audiência foi justamente um jogo da seleção feminina – aquele Brasil e Austrália das quartas-de-final que foi para os pênaltis. Agora, com a cobertura mais expressiva da Copa do Mundo feminina, a audiência também está mostrando que esse interesse pode ser maior.

As buscas do Google

Um outro indicativo que mostra o crescimento do interesse pelo futebol feminino está nas buscas do Google. No último domingo, dia da estreia da seleção brasileira, a atacante Cristiane fez três gols e resolveu a partida para a seleção brasileira. Isso fez com que a busca pelo nome dela no Google tivesse um aumento de 7.800% – cresceu oitenta vezes se comparado ao sábado, considerando a procura feita no site no Brasil.

Foto: Reuters

Se considerarmos os dados globais dessa busca por Cristiane, no domingo o nome dela foi buscado 73 vezes mais do que no sábado. E isso se reflete também nas próprias redes sociais da jogadora. Entre os dias 7 e 10 de junho, conforme mostrou levantamento da Vert Inteligência Digital em parceria com a plataforma de monitoramento Stilingue, a atleta passou de 152.046 seguidores no Instagram para 410.359 fãs.

Já as principais perguntas feitas ao Google desde o fim do jogo da seleção brasileira feminina contra a Jamaica mostram o interesse das pessoas em saber mais sobre a história do futebol feminino no Brasil. A que mais apareceu foi "quando é o próximo jogo da seleção feminina", mas há um destaque também para:

– Quantas Copas tem a Seleção feminina de futebol?

– Quando começou o futebol feminino no Brasil?

– Quando surgiu o futebol feminino no Brasil?

Foto: CBF

É interessante notar também que houve um crescimento de interesse das pessoas nas buscas desde a abertura da Copa do Mundo feminina, na última sexta-feira. Algumas das perguntas que mais foram feitas no Google por esses dias relacionadas a esse assunto foram justamente sobre quando seria o jogo da seleção e que horas.

– A que horas é o jogo da Seleção Brasileira feminina?

– Que dia é o jogo da Seleção Brasileira feminina?

– Quando o brasil feminino vai jogar?

Mas as perguntas sobre a história do torneio também não deixaram de aparecer. Como o Mundial feminino é bem recente – começou a ser disputado oficialmente em 1991 -, e ele quase nunca teve visibilidade na mídia, poucas pessoas sabem o básico sobre ele. E é interessante ver que o fato de agora isso estar na TV tem despertado a curiosidade das pessoas sobre o tema. Essas foram algumas das principais buscas do Google sobre a Copa nos últimos dias:

– A Seleção Brasileira feminina tem o vice-campeonato da Copa do mundo de qual ano?

– Em que ano aconteceu a primeira edição oficial da Copa do mundo de futebol feminino?

– Em qual país acontece a Copa do mundo de Futebol Feminino de 2019?

– Em que ano aconteceu a primeira edição oficial da Copa do mundo de Futebol Feminino?

A Copa do Mundo feminina deste ano já dá mostras de que será mesmo um marco na modalidade. A audiência das TVs, a repercussão do assunto nas redes sociais e até mesmo as buscas do Google já evidenciam isso.

 

 

 

 

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Mais Dibradoras