Topo
Dibradoras

Dibradoras

Campanha destaca resistência das mulheres no futebol: Sempre jogamos

Renata Mendonça

2029-03-20T19:15:57

29/03/2019 15h57

Foto: Reprodução

O Campeonato Paulista de futebol feminino começa neste final de semana com uma edição histórica, que terá os quatro principais times do estado reunidos agora também na disputa. Será a 21ª edição do torneio, que surgiu em 1988, "morreu" depois de 1996, e voltou em 2003, sem nenhuma pausa desde então.

Para promover o torneio, a Federação Paulista de Futebol (FPF) lançou uma campanha forte com algumas das representantes dos 12 times que jogarão o campeonato. Com a presença de nomes ilustres, como Cristiane, hoje jogadora do São Paulo, o vídeo fala dos preconceitos que as atletas enfrentam no futebol feminino, ressaltando o fato de elas nunca terem desistido.

"A gente só quer jogar bola. A gente enfrenta machismo, assédio, deboche. A gente enfrentou duas ditaduras no Brasil. Já foi proibida de jogar. Enfrentou o medo. Mas sempre jogamos", afirmam as atletas no vídeo, que começa com a narração de Aline Pellegrino, hoje coordenadora de futebol feminino da FPF e responsável pela campanha divulgada nesta sexta-feira.

"Futebol não tem gênero. a resistência corre no nosso sangue. A gente joga com alegria, joga por paixão, joga do jeito que der. Mas sempre jogamos. Há mais de 20 anos temos um refúgio, uma oportunidade de fazer o que sempre quisemos. O Campeonato Paulista é o nosso território, onde todos podem ver a nossa força. Vai começar o Paulista 2019. Sempre jogamos", termina o texto.

A gravação foi feita na Arena Corinthians e mostra as jogadoras juntas no vestiário e no campo. A ideia é mostrar a importância que o Paulista tem para o futebol feminino, já que é um torneio que permanece acontecendo consecutivamente desde 2003, mesmo quando não havia Brasileiro para as mulheres disputarem.

Agora com todos os times grandes na competição, o formato ficou assim: serão 12 equipes, divididas em 2 grupos numa primeira fase, que terá quatro classificados de cada grupo passando para a segunda. Esses oito times que avançarem serão novamente divididos em 2 grupos, onde todos enfrentam todos em turno e returno novamente até que classifiquem-se os dois melhores de cada chave. Esses quatro farão as semifinais e finais, em jogos de ida e volta respectivamente.

Os maiores campeões do Paulista Feminino são Santos, Juventus e Ferroviária, com 4 títulos cada um. O São Paulo tem 2, o Palmeiras tem 1 e o Corinthians nunca conquistou esse título – no ano passado, chegou à final, mas perdeu para o Santos.

Os jogos serão disputados no fim de semana e terão transmissão pela internet feita pelos próprios clubes. O primeiro clássico será entre Corinthians e Santos neste domingo às 10h no Parque São Jorge – interessante notar que os dois times também se enfrentam no masculino nesse mesmo dia, na Arena Corinthians, mas infelizmente não houve acordo para se fazer o feminino como preliminar do masculino.

Na semana que vem, será a vez de Palmeiras x São Paulo se enfrentarem pelo Paulista feminino no dia 7 de abril. No masculino, há também marcado para esse mesmo dia o jogo de volta da semifinal entre os dois times no Allianz Parque. As dibradoras criaram uma campanha pra fazer essa rodada dupla no estádio palmeirense – por enquanto não há definição sobre o local desse jogo.

 

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Mais Dibradoras