Topo
Dibradoras

Dibradoras

O clube de futebol que estampou na camisa as conquistas das mulheres

Roberta Nina

2004-03-20T19:04:00

04/03/2019 04h00

Formiga, levantando o terceiro troféu da Libertadores pelo São José (Foto: Foto: Tião Martins / PMSJC)

As maiores conquistas do São José Esporte Clube pertencem ao futebol feminino, por isso, nada mais justo do que ver as jogadoras ostentando quatro estrelas sobre o escudo do clube. Elas representam as três conquistas da Libertadores (2011, 2012 e 2014) e o Mundial que foi vencido em 2014.

A iniciativa de fazer um uniforme exclusivo para a equipe feminina partiu de Renata Love, ex-jogadora do clube e atual coordenadora de futebol. "Já havia pensado nessa possibilidade antes de estar na coordenação, passei para a comissão técnica e tive o apoio deles. Após isso, Agostinho Plaça, diretor do Futebol Feminino, levou a solicitação para o presidente Adilson José da Silva que gostou da ideia e deu o aval para que pudéssemos dar andamento a esse projeto. Fiquei muito feliz e realizada, pois, é uma forma de homenagear as atletas e a comissão técnica que estiveram durante toda essa trajetória onde obtivemos as conquistas especiais e que fazem de São José uma referência na modalidade", afirmou a dirigente.

Equipe do São José – com Formiga e Andressa Alves – campeãs do mundo no Japão, em 2014 (Foto: Mengo do Japão/ Divulgação)

Para a jogadora Carla, que defende a Águia do Vale há 15 anos (desde a época em que jogava pela base, em 2003) é muito significativo carregar as conquistas do São José no peito. "Para o futebol feminino, é muito importante ter as nossas conquistas estampadas na camisa, fruto do nosso esforço, e isso é muito significante. Eu sou de São José dos Campos, comecei a jogar bola aqui, conquistei todos os títulos com essa camisa, é um motivo de orgulho. Estou muito feliz e espero que possamos novamente atingir o topo das competições", afirmou às dibradoras.

Outro integrante da atual comissão técnica e que viveu essa fase vitoriosa do time feminino da Águia do Vale é Paulo Cesar, o preparador de goleiras que esteve presente em todas as conquistas do clube. "Lembro que quando conquistamos o Mundial sobre o Arsenal, falei para as meninas: 'Aproveitem o momento, pois acho que seremos a única equipe brasileira a ter esse título'. E é isso. A coordenação está de parabéns. Acho importante o Brasil ter esse conhecimento. Nossa hegemonia foi muito grande de 2011 até 2014. Perdemos jogadoras para o exterior justamente por esses títulos, que valorizaram os passes delas. Agora, estamos passando por uma transição, e o intuito é manter uma equipe forte para que possamos brigar novamente pelas principais conquistas."

As estrelas simbolizam as conquistas femininas do clube (Foto: Assessoria de Imprensa São José Futebol Feminino)

O novo manto da equipe de São José dos Campos será usado exclusivamente pelas mulheres e foi confeccionado pela RT Sports, fornecedora do material esportivo do time. O clube irá disponibilizar as camisas em estandes nos jogos realizados no Estádio Martins Pereira, além da venda física na loja da RT Sports. O valor da camisa ainda está sendo discutido.

Temporada 2019 

O time masculino de São José atualmente disputa a Segunda Divisão Paulista (quarto patamar estadual), que começará em abril. A equipe tenta conseguir o acesso à Série A3, após bater na trave em 2018, quando deixou escapar a vaga nos últimos minutos, contra o Comercial, em Ribeirão Preto.

Já a equipe feminina ocupa o primeiro lugar do ranking da modalidade pelo quinto ano consecutivo, segundo informações atualizadas pela CBF na última semana. Sob o comando de Cleber Arildo – que já foi o treinador do time masculino em 2015 – as atletas irão buscar o título do Campeonato Brasileiro e o Paulista, ambos na primeira divisão. Além destes, disputarão os Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior. No ano passado, o time do Vale do Paraíba conquistou esses dois títulos.

(Foto: Gabriel Dantas/São José Futebol Feminino)

"O grupo que foi montado busca o equilíbrio, ser homogêneo. Todas as atletas contratadas possuem uma qualidade e são importantes para nós. Assim como também, temos a Poliana, que fez história aqui no clube, e é uma jogadora que dispensa apresentações", destacou o treinador se referindo à jogadora que estava defendendo o Orlando Pride e é lateral da seleção brasileira.

As Meninas da Águia já estão realizando amistosos preparatórios visando a temporada. E os adversários da equipe no Paulista Feminino, que começa dia 24 de março, já estão definidos, serão: Audax Osasco, Corinthians, Juventus, Portuguesa, Santos e Taubaté.

Já, pelo Campeonato Brasileiro, a estreia será dia 16 de março, contra o Minas Icesp, em Brasília. O time tenta o inédito título do torneio nacional.

Além da equipe profissional, o São José Futebol Feminino possui três categorias de base: sub-13, sub-15 e sub-17, em parceria com o "Programa Atleta Cidadão". A sub-13 foi campeã do 47º Campeonato Estadual da categoria no final do ano passado.

Já a sub-17, que é a última categoria antes da equipe adulta, disputou o 47º Campeonato Estadual e também foi campeã no final do ano passado. Ainda no sub-17, o time do interior de São Paulo chegou à semifinal em 2018 e 2017 ficou com o vice-campeonato.

(Foto: Gabriel Dantas/São José Futebol Feminino)

Neste ano, o time adulto, terá seis jogadoras que se destacaram na base e foram remanejadas para o time principal. Destaque para a zagueira Vitória Bruna e Duda Batista, convocadas para a seleção brasileira de base que disputou o Mundial Sub-17 no Uruguai, além de terem conquistado o Sul-Americano e o Torneio BRICS, na África do Sul, todas as competições realizadas em 2018.

O treinador Cleber Arildo se diz honrado em fazer parte do clube e espera que o time, sob seu comando, possa cravar uma estrela a mais no uniforme joseense. "Para nós é um motivo de orgulho estar defendendo uma equipe com uma história vitoriosa e incrível, e essa equipe almeja retomar ao caminho e, quem sabe, conseguir outras conquistas. Então, pessoas novas vão fazendo parte. Quem sabe a gente consiga participar este ano de uma história como essa, que vai depender de muito esforço e dedicação, mas, acredito que as estrelas caíram muito bem nesse uniforme", disse o técnico.

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Mais Dibradoras