PUBLICIDADE
Topo

Dibradoras

Palmeiras e Corinthians vencem na ida das quartas; Santos e SPFC empatam

Dibradoras

29/10/2020 07h36

Fabio Menotti/Palmeiras

*Por Mariana Pereira

Chegaram ao fim os jogos de ida das quartas-de-final do Campeonato Brasileiro Feminino 2020. Corinthians e Grêmio abriram esta fase de mata-mata no último domingo em Porto Alegre com vitória por 3 a 0 das alvinegras. Já na última quarta-feira, o Avaí/Kindermann recebeu o Internacional na Ressacada e, de virada, venceu por 3 a 2; São Paulo e Santos não saíram do 0 a 0 no Morumbi e o Palmeiras, jogando no Allianz Parque, derrotou a Ferroviária por 2 a 1.

Três dos quatro jogos da volta também acontecem em grandes palcos. No domingo, o Internacional recebe o Avaí/Kindermann às 16h no Beira Rio, mesmo horário que o Santos joga contra o São Paulo na Arena Barueri. Um pouco mais tarde, às 19h30, Ferroviária e Palmeiras se enfrentam na Fonte Luminosa e Corinthians e Grêmio fecham esta fase na Neo Química Arena, na segunda-feira (2), às 19h.

Grêmio 0×3 Corinthians

Pela primeira vez na história jogando na Arena do Grêmio, as Gurias Gremistas tiveram problemas para enfrentar o Corinthians no jogo de ida das quartas de final. Cinco atletas e cinco membros da comissão técnica testaram positivo para Covid-19 e desfalcaram a equipe.

Em campo, prevaleceu o dono da melhor campanha na primeira fase (14 vitórias e apenas uma derrota). Com certo equilíbrio no começo, foi por uma falha da goleira Raissa que o Corinthians abriu o placar com Giovanna Crivelari aos 20 minutos do primeiro tempo.

 

Na volta do intervalo, o Grêmio até que tentou chegar ao gol do Corinthians e surpreender a goleira Lelê, que no esquema de Arthur Elias joga bastante adiantada. Mas, foi um gol contra de Ana Alice, aos 4 minutos do segundo tempo, que ampliou o placar para as visitantes. Ao decorrer da partida, a zagueira gremista se sentiu mal e precisou deixar o campo de ambulância.

Passado um minuto do segundo tento, Gabi Portilho, que entrou no intervalo, cruzou na medida para Giovanna Crivelari fazer o terceiro gol do Corinthians e o segundo dela no jogo.

 

Com a vitória, o Corinthians traz uma boa vantagem para São Paulo e pode perder por até dois gols de diferença que, ainda assim, estará classificado. Já o Grêmio precisa ou devolver o mesmo placar e levar a decisão para os pênaltis ou vencer por mais de três gols de diferença.

Avaí/Kindermann 3×2 Internacional

Foto: Divulgação Avaí/Kindermann

Mandando o jogo no estádio da Ressacada, a mais de 400 km de distância de Caçador, cidade-sede da equipe, o Avaí/Kindermann viu o Internacional começar melhor a partida.

Aos 29 minutos do primeiro tempo, Juliana recebeu livre para abrir o placar para as visitantes. Bárbara, goleira do Avaí/Kindermann, ainda salvou um belo chute antes do seu time empatar a partida com Lelê.

A camisa 21 ganhou na corrida e tocou na saída de Yasmin, aos 39 da primeira etapa. E a virada veio 4 minutos depois, em cobrança de escanteio com Simeia pegando a sobra.

Motivadas com a vantagem, as atletas do Avaí/Kindermann retornaram do intervalo ligadas e chegaram ao terceiro gol após falha de Yasmin. A goleira colorada saiu mal do gol em cobrança de falta e Camila ficou com a sobra. Aos 33 minutos, Byanca Brasil descontou para o Inter após dominar a bola no peito e chutar.

 

Agora no Beira-Rio, as Gurias Coloradas precisam vencer por dois gols de diferença para não levar a decisão para os pênaltis. Já o Avaí/Kindermann se classifica com um empate simples.

São Paulo 0x0 Santos

O clássico paulista não saiu do 0 a 0, mas poderia ter sido qualquer outro empate, já que ambos os times buscaram o gol adversário tanto no primeiro tempo quanto no segundo. O Santos não pôde contar com uma de suas principais jogadoras, Thaisinha, que testou positivo para Covid-19.

Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC

A primeira grande oportunidade foi do time mandante, com Duda acertando a trave da goleira Michelle. Depois disso, o São Paulo pressionou bastante o Santos forçando erros na saída de bola santista. Porém, foi uma falha de Natane e da goleira Carla que quase custou o primeiro gol da partida.

Aos 39 minutos do primeiro tempo, a camisa 16 tricolor recuou uma bola dentro da área, e Carla pegou com a mão. Cristiane foi para a cobrança da falta, mas brilhou a estrela da arqueira tricolor.

A jogadora santista, inclusive, mostrou desconforto com a postura do time no primeiro tempo e cobrou concentração das suas companheiras. No segundo tempo, o jogo ficou um pouco truncado e acabou sem gols.

 

O empate obriga os dois times a vencerem o jogo de volta na Arena Barueri caso queiram evitar as penalidades. Basta uma vitória simples de um dos lados para assegurar a vaga nas semis.

Palmeiras 2×1 Ferroviária

Foto: Fabio Menotti/Palmeiras

Bastou três minutos de partida para o Palmeiras abrir o placar diante da atual campeã brasileira, no Allianz Parque. Após cobrança de escanteio, a zagueira Thaís desviou para o gol e marcou seu segundo tento no ano contra o time de Araraquara.

As palestrinas levaram para o intervalo o 1 a 0 no placar e na volta viram Camilinha, aos 12 minutos, puxar o contra-ataque e acertar um belo chute de fora da área direto no ângulo da goleira Luciana, aumentando a vantagem alviverde.

"Lá no início, quando eu cheguei, questionaram se eu ia sentir o peso da camisa. É muito importante poder marcar aqui no Allianz, fico muito feliz, mas o mais importante foi a gente sair com a vitória", disse a camisa 9 do Palmeiras.

Mas, a Ferroviária teve tempo de diminuir o prejuízo com Sochor. Aos 36 minutos, as Guerreiras Grenás pressionaram a saída de bola do Palmeiras e a camisa 7 chutou de frente para a goleira Vivi.

Um empate no jogo da volta garante as palestrinas na semifinal do torneio. Já a Ferroviária precisa vencer por dois gols de diferença para se classificar (vitória por um gol leva a decisão para os pênaltis).

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre as autoras

Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Renata Mendonça é apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras