PUBLICIDADE
Topo

Clubes superam dificuldades e estão prontos para a volta do Brasileirão A2

Dibradoras

15/10/2020 04h00

Foto: CBF

*Por Mariana Pereira

A Série A2 do Campeonato Brasileiro feminino já tem dia e hora para retornar, e a boa notícia é que isso acontece na próxima semana. Fortaleza e São Valério encerram o jogo que faltava da primeira rodada na segunda-feira (19), às 15h, no Raimundão, em Caucaia, no Ceará. E então, a retomada parte para a segunda rodada.

Divididos em seis grupos, os 36 participantes jogam as primeiras cinco rodadas entre integrantes da mesma chave. Os dois melhores colocados, além dos quatro melhores terceiros, avançam para as oitavas de final em partidas de ida e volta, sem critério de gol qualificado para, finalmente, os quatro semifinalistas garantirem vaga na Série A1 do Brasileiro Feminino de 2021.

Na edição de 2020, diversos clubes considerados de camisa acirram a disputada por uma vaga na elite do nacional – muito disso se deve pela exigência sobre a modalidade a times que disputam a Série A do Brasileiro masculino. Já outros buscam evitar o rebaixamento e aperfeiçoar o desempenho do elenco com o passar dos jogos.
Escolhemos alguns times de diferentes regiões do país que têm projetos interessantes no futebol feminino para analisar suas ambições no campeonato e entender como chegam nesta retomada após a pausa por conta da pandemia.

Atlético Mineiro

Hoffmann Túlio assumiu a equipe feminina do Galo nesta temporada após ser campeão Mineiro com o Cruzeiro em 2019 e levar o time celeste à vice conquista da A2, garantindo vaga na elite do Brasileiro. Por conta da experiência do treinador na competição, o Atlético mira o título da temporada 2020, além do acesso.

 

O clube, que mescla elenco jovem com experiência, optou por não renovar o contrato de oito atletas que tiveram seus vínculos encerrados no mês de junho com a justificativa de melhorar o nível técnico do time. Contratou cinco novos nomes e promoveu três atletas da base para treinarem com o profissional. Recentemente, Ana Flávia Pissaia foi convocada para a Seleção Brasileira Feminina Sub-20.

Após a pausa por conta da pandemia, as Vingadoras retomaram os treinos presenciais no dia 2 de setembro na Vila Olímpica, uma das unidades do Atlético que conta com estrutura completa. No Grupo E, o Galo Feminino enfrenta o Vasco no sábado (24), às 15h, em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro. Em 2019, o time não passou da primeira fase da competição.

Ceará

Bicampeão estadual na temporada 2018/2019, o Ceará chegou às quartas de final do Brasileirão A2 do ano passado e neste ano quer ir mais longe, mirando o acesso. Sem perder nenhuma atleta durante a pausa por conta da pandemia, o técnico Sérgio Alves tem à disposição um elenco de 30 jogadoras.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Ceará manteve base vencedora em busca do acesso na Série A2 O acesso para a primeira divisão do futebol feminino nacional é o maior e principal desafio do Ceará na temporada. Pensando nisso, a diretoria alvinegra manteve a base do elenco que terminou o Campeonato Brasileiro na sexta posição – a melhor entre clubes do norte e nordeste que disputaram a competição – e que foi bicampeã cearense em 2019. Ao todo o Vozão continuou com dezenove atletas que disputaram a temporada passada com a camisa alvinegra. As goleiras Mayara, Tati, Lorrana e Isabel, as laterais Bia, Kamila, Valeska, as zagueiras Alessandra, Patrícia , Thaiane, Mariana e Edna, as meio-campistas Jullyana Morais, Gilmara, Larisse, Rhayanna e as atacantes Maria Vitória, Gisele e Jady. Além de manter a base da temporada passada, o clube trouxe atletas com experiência no futebol feminino nacional. A meio-campista Fernanda Marques já conquistou o acesso à primeira divisão com a Portuguesa, em 2017, e é uma das armas do time de Sérgio Alves. A atacante Juliana Santos veio do Jequié/BA e na temporada passada marcou 16 gols. A zagueira Giulia, com passagens pelo Benfica/POR e São Paulo, a volante Ariane que já defendeu o Cresspom/DF e as meio-campistas Ziza e Jessica, de apenas 17 anos, completam o elenco alvinegro na temporada. O técnico Sérgio Alves já deixou claro que seu maior desejo enquanto treinador da equipe feminina do Vozão. "Eu já conquistei muita coisa pelo Ceará, fiz muitos gols e dei muitas alegrias ao torcedor alvinegro. Hoje meu maior sonho é levar o futebol feminino do Ceará para a primeira divisão do Brasileiro. Ano passado nós batemos na trave, por isso nos reforçamos bem para esta temporada, além de termos mantido nossa base. Estamos focados no acesso e iremos trabalhar para consegui-lo", afirmou o comandante. @pedrochavesce

Uma publicação compartilhada por Meninas do Vozão (@meninasdovozao) em

Pensando no confronto com o Tiradentes no sábado (24), às 17h, no Albertão, em Teresina, Piauí, as representantes do Mais Querido treinam na Cidade Vozão desde o dia 15 de setembro. Vale ressaltar que o clube não reduziu os salários das atletas, nem deixou de honrar compromissos contratuais durante a pausa do campeonato.

Em sua estreia na temporada atual do Brasileiro A2, o Ceará goleou o Oratório pelo placar de 5 a 0 e pretende manter este ritmo ao longo da competição. O time integra o Grupo A do nacional.

Fluminense

A técnica Thaissan Passos vai para sua segunda temporada no comando do time feminino do Fluminense. Fundadora do projeto Daminhas da Bola, de Duque de Caxias, Baixada Fluminense, a comandante mira para suas jogadoras o acesso à primeira divisão do Brasileiro. No ano passado, elas se despediram da competição nas oitavas de final.

Créditos: Mailson Santana/ FFC

Para compor o elenco quase todo da temporada 2019, o Fluminense subiu algumas jogadoras da base e contratou mais quatro novas atletas, entre elas Evelyn e Isadora, que disputaram a Taça das Favelas. A zagueira Tarciane e a lateral Luany estão na lista de convocadas da Seleção Brasileira Feminina Sub-17 que se prepara para o Sul-Americano da categoria.

As Guerreiras do Fluzão se reapresentaram no dia 24 de setembro, no Centro de Treinamento Vale de Laranjeiras (CTVL), em Xerém, para realizarem testes físicos. O Fluminense, que está no Grupo F, enfrenta a Chapecoense no domingo (25), às 15h, no CT Água Amarela, em Chapecó, Santa Catarina.

Fortaleza

Único time que ainda não estreou na temporada 2020 do Campeonato Brasileiro A2, o Fortaleza conta atualmente com um elenco aproximado de 25 jogadoras, sendo metade delas que iniciaram o ano na equipe e outra metade que chegou após a pausa por conta da pandemia. Elas serão comandadas pelo técnico Igor Cearense, ex-atleta.

Foto: Rafa Reis

Visando o confronto com o São Valério na segunda-feira (19), às 15h, no Raimundão, em Caucaia, no Ceará, a equipe treina com bola em campo desde o dia 22 de setembro e tem à sua disposição três estruturas durante a semana: o Campo Paulo Leão, o CT do Tiradentes e o CT Ribamar Bezerra (Centro de Treinamento do próprio Fortaleza Esporte Clube, localizado em Maracanaú, Ceará).

A proposta de "entrar em todas as competições para disputar e ganhar", dita no começo do ano pelo presidente do Conselho Deliberativo do clube, Demétrius Coelho, segue firme para as Leoas. Elas estão no Grupo B da competição, e uma de suas atletas, a goleira Awanny Miria, foi convocada para a Seleção Brasileira Sub-17 para a primeira e segunda fase de preparação para o Sul-Americano, que será disputado no Uruguai em novembro.

Foz Cataratas

Novo vezes Campeão Paranaense, o Foz Cataratas tinha um projeto ambicioso para este ano. Para o comando técnico, em março o clube anunciou Christiane Lessa, ex-jogadora que tem uma bagagem na modalidade praticamente toda feita nos Estados Unidos.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Foz Cataratas 2020 !

Uma publicação compartilhada por Foz Cataratas Futebol Feminino (@fozcataratasfutebolfeminino) em

Porém, hoje a realidade é outra. Treinando com bola desde 28 de setembro, o Foz precisou se reestruturar para manter o objetivo de terminar a temporada firme na Série A2. Para isso, trocou quantidade por qualidade – segundo o presidente Gezi Damaceno Júnior –, reduziu o elenco (oito atletas não permaneceram) e ainda busca na cidade jogadoras que topam fazer parte do plantel.

Ainda se recuperando do golpe da pandemia, falta definir a comissão técnica. Brito Dornelles ou o próprio Gezi podem assumir este comando. Integrante do Grupo D, o Foz enfrenta o América-MG no domingo (25), às 15h, em Belo Horizonte.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre as autoras

Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Renata Mendonça é apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras