PUBLICIDADE
Topo

Libertadores de base: Centro Olímpico e Inter disputam no Sub-14 e Sub-16

Roberta Nina

24/01/2020 15h10

Sub-14 do Centro Olímpico, campeãs da Libertadores em 2019 (Foto: Divulgação)

O Centro Olímpico e o Internacional representarão o Brasil na Fiesta Sudamericana de la Juventud, torneio equivalente à Copa Libertadores da América. Organizada pela Conmebol, a competição começa neste sábado (25/1), no Paraguai, e faz parte da Liga de Desenvolvimento e Evolução – criada pela entidade para fomentar o futebol na América do Sul.

Este será o terceiro ano consecutivo do torneio e a equipe do Centro Olímpico, de São Paulo, disputará com a Sub-14 feminino e o Internacional, de Porto Alegre, com a Sub-16. As equipes conseguiram a classificação após vencerem as etapas da Liga de Desenvolvimento no Brasil: as meninas de 14 anos do Centro Olímpico venceram o próprio Inter na final e as coloradas de 16 anos venceram a Chapecoense.

Gurias Coloradas em Assunção para disputar o torneio na categoria Sub-16 (Foto: Internacional SC)

Portanto, os campeões de cada país da América do Sul das categorias Sub-14 e Sub-16 Femininas e Sub-13 Masculina se encontrarão para 10 dias de competição, educação e diversão em um total de 72 jogos com 30 equipes nas três categorias. Os vencedores viajam para Orlando onde irão disputar mais um torneio – a Disney Cup – e, na sequência, conhecerão os parques mais famosos do mundo.

"É sempre uma oportunidade incrível para elas saírem do país, conhecerem novas culturas, novas meninas que também jogam e são apaixonadas por futebol. Sabemos que nem todas chegarão a se tornar atletas profissionais, mas experiências como essa auxiliam na formação dessas meninas como indivíduos, cidadãs, as fazendo perceber que o mundo é mundo maior do que imaginam", afirmou o treinador do Centro Olímpico, Rodrigo Coelho, que está com a equipe em Assunção.

Centro Olímpico em busca do bicampeonato

Uma das maiores referências na formação de atletas, o Centro Olímpico é um projeto que conta com a parceria da prefeitura de São Paulo e que passou a fomentar o futebol de base em 2010. O futebol feminino é o grande diferencial do projeto que, ao longo dos anos, recebeu uma grande demanda de meninas mais novas interessadas em jogar bola e, por isso, foi criado o sub-13 em 2012. O sub-11 veio em 2015, e hoje em dia qualquer garota de 9 anos para cima pode fazer a peneira (que acontece todo mês) para uma das categorias do Centro Olímpico.

O trabalho dá tão certo a equipe feminina sub-14 tem no histórico um título conquistado em um campeonato masculino muito tradicional da cidade chamado Copa Moleque Travesso

O Centro Olímpico vai em busca do bicampeonato já que no início de 2019 a equipe Sub-14 levantou o troféu também em Assunção ao derrotar a Liga Antioqueña, da Colômbia, por 3 a 1.

"O Centro Olímpico é o atual campeão. Estamos defendendo o nosso título e temos uma equipe com potencial, que apesar da pouca idade, tiveram a chance de disputar o Paulista Sub-17 no ano passado e ter um bom desempenho. Estamos desfalcados de uma importante jogadora, a Duda, que infelizmente está lesionada ( a jogadora de 14 anos já foi convocada para a seleção brasileira Sub-17). No grupo, temos meninas que estão conosco há 3, 4, 5 anos, que começaram no Sub-11 e hoje estão no Sub-15", declarou Rodrigo.

Sub-14 do Centro Olímpico, campeãs da Libertadores em 2019 (Foto: Divulgação)

+ Problema na base? Até os 14, brasileiras só têm um clube para jogar futebol

Tomando como base a competição do ano passado, o treinador da equipe brasileira Sub-14, revela que é possível perceber que o futebol feminino tem crescido na América do Sul. "Brasil, Colômbia, Equador, Argentina e Paraguai possuem boas equipes. Dos 4 títulos disputados (sub-14 e 16, desde 2018), o Brasil venceu duas vezes: o título Sub-14 de 2019 para o Centro Olímpico e o Sub-16 de 2018 para o São Paulo, na época em parceria com o Centro Olímpico. Junto com o Brasil, a Colômbia também é uma grande força no futebol sul-americano de base, com seleções regionais (Bogotá, Valle, Antioquia, etc.), algo que não temos no Brasil", contou.

Grupos e estreias

O Internacional estreia na competição no sábado (25), às 17h45 (horário de Brasília), contra o Liverpool (Uruguai), no estádio Parque Guasú Metropolitano. Com 18 atletas inscritas, as Coloradas estão no grupo B que conta ainda com Antioquia (COL) e Colo Colo (CHI).

O Centro Olímpico estreia no domingo (26), às 7h45 (horário de Brasília) contra o Ñeembucú (Paraguai), também no estádio Parque Guasú Metropolitano. Os outros adversários da equipe paulista são San Jacinto (Uruguai), Fedeguayas (Equador) e Liga Vallecaucana (Colômbia).

As partidas terão transmissão ao vivo na página do comitê: www.facebook.com/EvolucionConmebol

 

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras