Topo
Dibradoras

Dibradoras

Ferroviária bate atual campeão Huila e está na semifinal da Libertadores

Roberta Nina

21/10/2019 21h15

(Foto: Tiago Pavini/Ferroviária SA)

Nesta segunda-feira (21) a Ferroviária enfrentou o Atletico Huila – atual campeão do torneio -, e venceu, de virada, por 3×2, no Estádio Olímpico Atahualpa, no Equador. Os gols do time brasileiro foram marcados por Maglia (duas vezes) e Nathane. Do lado colombiano, Kena Romero marcou os dois gols do Huila.

Com o resultado, a Ferroviária é semifinalista da Libertadores da América e volta a campo na quinta-feira (24) para enfrentar o Cerro Portenho, com transmissão exclusiva do DAZN. 

O jogo

Mais uma vez, diante da altitude e da chuva, o time comandado por Tatiele Silveira enfrentou uma equipe muito bem montada e precisou buscar o resultado a todo instante.

O primeiro tempo foi bastante agitado, com chances claras de gols para as duas equipes. Antes mesmo dos 10 minutos de jogo, a Ferroviária criou duas boas oportunidades de abrir o placar. A primeira com Aline Milene, que tentou cruzar e acabou chutando para o gol, quase surpreendendo Castro. Depois, foi a vez de Nenê dar um passe cruzado para Nathane dentro da área, mas a tacante não conseguiu alcançar a bola. 

Aos 17 minutos, novamente com Aline Milene, a Ferroviária levou perigo ao time colombiano. A camisa 10 do time grená recebeu na lateral esquerda, entrou na área, fintou a marcadora, mas finalizou (por pouco) pra fora.

O primeiro gol da partida foi do Atletico Huila e saiu aos 23 minutos numa saída de bola errada da Ferroviária entre Barrinha e Luana. Kena Romero roubou a bola no campo de ataque e finalizou no canto direito da Luciana. 

Sem a vantagem no placar, a Ferroviária criou boa chance aos 29 minutos, em um cruzamento de Luana com finalização sem força da atacante Nathane. Mas, na chance seguinte, a camisa 5, Maglia, de cabeça, deixou tudo igual no placar: 1×1.

(Foto: Tiago Pavini/Ferroviária SA)

O segundo mal tempo começou e Nathane deixou a Ferroviária em vantagem pela primeira vez. A jogada começou em um escanteio que foi afastada pela zaga colombiana, mas a bola foi alçada novamente para a área. Maglia ganhou de cabeça e a bola sobrou nos pés da camisa 9 que finalizou para marcar seu oitavo gol nesta Libertadores.

Dez minutos depois, Kena Romero marcou seu segundo gol no jogo e deixou tudo empatado novamente. Numa disputa no meio campo, a bola sobrou nos pés da atacante que foi pra cima de Luana. No bote errado da zagueira, o chute de Romero encontrou as redes de Luciana. Esse foi o 5º gol da jogadora colombiana na competição.

Com o empate, a vaga seria decidida nas penalidades, mas Maglia evitou esse sofrimento. Após cobrança de escanteio, a camisa 5 deixou seu segundo gol, mais um de cabeça: 3×2.

Depois de virar o placar, a Ferrinha conteve os avanços do atual campeão da Libertadores que tentou ir ao ataque, mas levou pouco perigo ao gol afeano. Com o placar em vantagem, a equipe de Araraquara só administrou o tempo e comemorou muito ao final da partida.

Vitória merecida do time brasileiro que buscou o resultado por duas vezes e está garantido na semifinal da Libertadores da América.

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras