Topo
Dibradoras

Dibradoras

Intensidade ofensiva e organização defensiva: o estilo do treino de Pia

Roberta Nina

27/08/2019 22h05

Formiga durante treinamento no CT do São Paulo, na Barra Funda (Foto: dibradoras)

A segunda vez em que Pia Sundhage propôs novas práticas para as atletas dentro de campo foi definida pela jogadora Bia Zaneratto durante coletiva de imprensa como "um dia de treinamento intensivo". E foi mesmo!

No 1º treino de Pia, Andressa Alves lembra: 'Existem craques além de Marta'

Nesta terça-feira (27), a técnica sueca insistiu novamente em trabalhar as jogadas pela linha de fundo e foi com essa atividade que, após aquecimento, ela começou a treinar as atletas. A ideia era trazer mais velocidade na triangulação de passes, chegar à linha de fundo e cruzar rasteiro para que a companheira finalizasse de dentro da área.

Com a participação das goleiras, Pia propôs uma atividade onde uma jogadora saía pela lateral do campo, avançava pela linha de fundo e cruzava para outra atleta finalizar de dentro de área – e elas saíam com a bola em dois grupos separados, um em cada extremo do campo.

Pelo lado tático, Pia realizou um exercício mais conhecido como "balanço", onde as atletas se movimentavam ao mesmo tempo e agrupadas seguindo a condução da bola que era feita por alguém da comissão técnica. O objetivo era fazer com que elas conseguissem sincronizar e fazer a marcação em blocos.

Pia orientando as jogadoras durante o treino (Foto: dibradoras)

Sempre orientando a equipe em inglês – com o auxílio do preparador físico, Fábio Guerreiro – a treinadora gesticulava e, às vezes, interrompia o exercício para passar instruções para as atletas. Foi uma tarde de muita prática e de atividades bem objetivas.

"Totalmente diferente"

Após o treinamento, as jogadoras Chú (Changchun Dazhong-CHI) e Bia Zaneratto (Incheon Hyundai-Coréia do Sul) falaram com a imprensa sobre a nova filosofia de trabalhado que Pia vêm colocando em prática nessa primeira convocação. 

"É um novo ciclo, um estilo diferente de trabalho. Estamos nos adaptando, mas a gente já vê que ela tenta trazer o estilo de lá de fora, agregando com o estilo brasileiro", disse Bia.

"O trabalho dela está muito bom. Deu pra perceber um pouco que ela gosta muito do esquema defensivo e isso a gente está adaptando. O segundo dia foi muito produtivo e acredito que só tem a melhorar", opinou Chú.

Bia e Chu durante coletiva de imprensa (Foto: dibradoras)

As jogadoras também revelaram detalhes dos exercícios propostos – como o balanço e o trabalho de cruzamento e finalização -, entendendo que são pontos que precisam ser ajustados para a equipe como um todo.

"(O balanço) era pra gente justamente pegar essa sincronia. Toda a equipe pegar o balanço e não ficar só o ataque fazendo a pressão, mas sim o grupo. Ela tentou fazer essa movimentação no final como uma dinâmica só mostrando pra gente qual é o posicionamento de cada uma e foi corrigindo o que estava errado", revelou Bia.

"Acredito que precisamos melhorar o terço final do jogo. No decorrer da partida a gente tem bastante bola no ataque e muitas vezes chegamos com bastante qualidade no fundo, mas pecamos nesse último passe pra trás que é onde vai matar o jogo. Então, acredito que essa bola rolada pra trás é muito boa e muitas vezes a gente chega na área bem posicionada, mas quer fazer a bola alçada. E agora ela quer essa bola no chão pra gente chegar com equilíbrio e fazer a finalização bem", disse Chú.

De fora das últimas convocações – entre elas a da Copa do Mundo -, Chú revelou que seu retorno à seleção aconteceu no momento certo e por ter um propósito. A atacante de 29 anos que atua na China revelou que tem aprendido muito sobre tática em seu clube e acredita que essa convocação tenha acontecido justamente porque ela aprendeu a se posicionar da maneira que agrada Pia.

"Na China o futebol é bastante tático e lá, como eu jogo de meia aberta, isso tem me ajudado bastante. Pra jogar lá você tem que ser muito obediente taticamente e eu acredito que minha convocação foi devido a isso, porque ela (Pia) prioriza muito o esquema defensivo. Defender e atacar bem e em blocos, todo mundo junto. E o futebol na Ásia é assim, bem compacto, todo mundo ataca e todo mundo defende", afirmou.

Bia durante os treinos de triangulação e cruzamentos para a área (Foto: dibradoras)

Bia também valorizou o trabalho de Pia em fazer todas as jogadoras, independente da posição, ter consciência defensiva e ajudar na marcação. "Acho que isso contribui pra gente. Ela vem com um novo estilo e isso só agrega. Acho que essa modificação ou essa intensidade que ela impõe sobre marcação, sobre não só atacar, mas defender também, é o que vai fazer com que a gente consiga bons resultados porque, às vezes, temos falhado nisso. A gente é muito vertical e nessa recomposição a gente falha. Ela tem focado nisso intensamente e vai fazer a diferença."

Para as duas, conseguir um bom resultado no primeiro jogo, contra a Argentina e chegar à final jogando bem, é fundamental para esse início de trabalho. Chú revelou que esse é o momento ideal para ganhar confiança, já pensando nos Jogos Olímpicos de Tóquio no ano que vem.

Parte do grupo reunido pós-treino (Foto: dibradoras)

Para Bia, o trabalho da nova treinadora chegou para modificar a maneira do time jogar. "Estamos trabalhando aqui para construir o melhor para o Brasil. Sabemos da importância que vai ter esses dois jogos e queremos executar o melhor dentro de campo. Hoje foi um dia bem intensivo e temos trabalhado um todo. Não é só focando no ataque ou só na defesa, essa forma dela de trabalhar em conjunto acho que é o que pode fazer a diferença."

Nova convocada

No final da tarde, a CBF confirmou a chegada da meio-campista Victoria Albuquerque do Corinthians para compor o elenco da seleção brasileira feminina. Victoria tem 21 anos e chega para ocupar a vaga deixada por Marta por conta de contusão (lesão muscular do bíceps femoral da coxa esquerda, grau 2). 

A temporada de Victoria é bem positiva. Disputou 28 partidas e tem 14 gols – é a vice-artilheira do time alvinegro, ficando atrás apenas de Millene, com 23 gols e que também está seleção brasileira. Victoria se apresentará ao grupo na quarta-feira (28)

Torneio Internacional

Os jogos acontecerão em rodada dupla com Costa Rica e Chile abrindo a competição no dia 29 de agosto (quinta-feira), às 19h, no Pacaembu. Na sequência, o Brasil entra entra em campo contra a Argentina às 21h30. A decisão acontece no dia 01 de setembro (domingo) quando os perdedores da rodada inicial decidem a 3ª colocação às 10h. A final acontece em seguida, às 13h30. Os ingressos podem ser comprados no site da TS Tickets.

As entradas custam a partir de R$ 20 (arquibancada) e R$ 24 (cadeiras numeradas), com direito à meia-entrada. A venda nas bilheterias do Pacaembu serão abertas apenas na semana do torneio, caso sobrem ingressos. 

As partidas terão transmissão do SporTV (narração de Sérgio Arenillas e comentários de Ana Thais Matos) e TV Cultura, com narração de Natália Lara e comentários da goleira Thaís Picarte. 

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras