Topo
Dibradoras

Dibradoras

Grandes de Minas investem no futebol feminino, e Mineirão recebe 1º jogo

Renata Mendonça

2005-03-20T19:09:07

05/03/2019 09h07

A nova regra da CBF para licenciamento dos clubes no Campeonato Brasileiro masculino está mudando o cenário do futebol feminino no país. Em Minas Gerais, somente o América-MG, entre os clubes tradicionais, mantinha um time de mulheres. Agora, Atlético-MG (com uma parceria) e Cruzeiro (por conta própria) iniciaram seus projetos, que vão alimentar a rivalidade estadual na região – os três disputarão a Série A2 do Brasileiro feminino, a popular segunda divisão.

Mas a principal novidade vai acontecer já nesse mês de março, antes mesmo do início oficial das competições. Atlético-MG e América-MG se enfrentarão em amistoso no dia 23 de março no Mineirão. Será a primeira vez que o estádio mais tradicional de Minas receberá um clássico feminino.

"Neste ano, o Atlético volta a abraçar o futebol feminino mineiro. Queremos começar de forma positiva. Partidas como essa dão visibilidade ao trabalho tão bonito que essas mulheres realizam no esporte. Além disso, será a apresentação da nossa equipe feminina para toda a nossa torcida", afirmou Nina Abreu, coordenadora do futebol feminino do Galo.

O jogo será aberto ao público no sábado, 23, às 16h, com entrada gratuita. A organização pede que os torcedores levem uma doação de produtos de higiene pessoal, que serão repassados a um projeto social que auxilia a população carcerária feminina.

A partida faz parte de uma iniciativa de um evento enorme de empoderamento feminino que também acontecerá em Belo Horizonte, o Voe Mulher, que será realizado entre 20 e 23 de março na capital mineira. A organização dele é de responsabilidade de uma mulher, a mineira Ângela Paulo, que tem por objetivo ressaltar histórias de sucesso de empreendedoras do Brasil e inspirar mulheres em suas áreas de atuação.

O fato de abrir a temporada do futebol feminino em Minas Gerais em pleno Mineirão tem uma importância histórica para as mulheres. Como bem ressaltou o dirigente do América-MG, raramente as jogadoras têm a oportunidade de jogar nos estádios mais famosos do Brasil. "Dificilmente as equipes femininas têm a oportunidade de jogar em grandes palcos do futebol nacional. Nossas meninas farão uma estreia no Mineirão, será um dia emocionante. O América-MG investe desde 2015 no feminino, já profissionalizou todas as atletas. Vemos essa partida como um prêmio pela história que as jogadoras construíram nos últimos anos", disse Leonardo, gerente de futebol feminino.

Em termos de futebol feminino, o América-MG é o time "mais tradicional" da região, sendo tricampeão mineiro. O time existe desde 2015, inicialmente com jogadoras voluntárias, mas já passou pelo processo de profissionalização para assinar as carteiras das atletas recentemente.

O Atlético-MG anunciou sua equipe feminina no fim de dezembro do ano passado, em uma parceria com o Prointer Futebol Clube, um projeto de cunho social que fica sediado em Barragem Santa Lúcia, região centro-sul de Belo Horizonte. O time existe desde 1975 e disputa o Mineiro desde 1997. O Galo se comprometeu a oferecer toda a estrutura para o andamento do projeto, além de bolsas para as atletas, registro profissional, orientação nutricional, convênio com academia, metodologia de treinamento e materiais esportivos. O Atlético-MG chegou a ter um time próprio no futebol feminino – onde inclusive jogou a lateral da seleção brasileira, Tamires -, mas fechou as portas em 2012.

 

No caso do Cruzeiro, o time foi o que mais demorou para definir como seria seu projeto no feminino. Inicialmente, a ideia era firmar uma parceria com algum clube que já tivesse a modalidade. No entanto, recentemente houve uma mudança de planos e, na última semana, o Cruzeiro anunciou seu projeto próprio. A responsável pela coordenação da modalidade será Barbara Fonseca, que antes cuidava dessa função no rival, América-MG.

"O Cruzeiro administrará sua própria equipe, não há aquela parceria que outros clubes fizeram. A nossa equipe busca no mercado atletas de potencial mais apurado para formar o time. Eu estou realizando um trabalho de cigana, atuando externamente e buscando essas jogadoras", relatou em entrevista ao site Superesportes.

O técnico da equipe também veio do América, é Hoffmann Tulio, os jogos do Cruzeiro serão sediados no Sesc Venda Nova, e o local de treinamento será no complexo esportivo da PUC Minas.

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Mais Dibradoras