PUBLICIDADE
Topo

Dibradoras

Semis do Brasileiro Feminino terão Corinthians x Palmeiras e SPFC x Avaí

Roberta Nina

02/11/2020 20h59

(Foto: Rodrigo Cocca / Agência Corinthians)

Depois de São Paulo, Avaí/Kindermann e Palmeiras se garantirem na semifinal do Campeonato Brasileiro Feminino, o Corinthians conseguiu sua classificação batendo o Grêmio no Parque São Jorge. O placar foi 2×1 para o Corinthians, com gols de Gabi Zanotti e Tamires e Eudimilla descontou para a equipe do Sul.

O alvinegro já havia vencido as Gurias Gremistas no jogo de ida, na Arena do Grêmio, por 3×0, deixando assim o placar agregado em 5×1.

Três das quatro equipes que jogaram as semifinais da Série A2 do Brasileirão em 2019 e subiram para a elite se classificaram para o mata-mata. O Grêmio parou nas quartas e São Paulo e o Palmeiras avançaram para as semis. O Cruzeiro – vice-campeão do acesso – ficou na 10ª colocação.

Com os resultados, os duelos da próxima fase estão definidos: Avaí/Kindermann x São Paulo de um lado e Palmeiras x Corinthians do outro. As semifinais do campeonato nacional terão jogos de ida e volta nos dias 08 e 14 de novembro.

+ Palmeiras e Corinthians vencem na ida das quartas; Santos e SPFC empatam

Confira como foi a classificação e os principais números das quatro equipes.

Corinthians absoluto

Com apenas uma derrota no Brasileirão – para o São Paulo, em março, acabando com a sequência de 48 jogos sem perder – o Timão é a equipe com o melhor ataque e melhor defesa da competição. O plantel comandado por Arthur Elias marcou 45 vezes e levou apenas 7 gols na primeira fase. A artilheira do time é Giovanna Crivelari, com 7 gols.

No mata-mata diante do Grêmio (classificado em 7º lugar entre os 8 melhores), a equipe paulista fez um bom placar na Arena do Grêmio e jogando na Neo Química Arena garantiu mais uma vitória.

(Foto: Rodrigo Cocca / Agência Corinthians)

O Corinthians buscou o gol desde o início do jogo e criou oportunidades aos 3 minutos com Zanotti, aos 5 com Yasmim, aos 10 com a Tamires e aos 30 novamente com Zanotti, que arriscou uma bonita bicicleta dentro da área. Um minuto depois, a camisa 10 abriu o placar após receber passe de Ingryd e chutar pro gol da entrada da área. Esse foi o quarto gol de Gabi Zanotti em 2020.

Aos 37, as Gurias Gremistas empataram a partida com um golaço de Eudimilla, que viu a goleira Lelê adiantada e encobriu a camisa 12 do Corinthians.

No fim do 1º tempo, Andressinha encontrou Tamires dentro da área que chutou cruzado, sem chances para a goleira Raíssa. E ainda comemorou com dancinha, atendendo o pedido do filho Bernardo.

Na etapa final, o Corinthians continuou intenso e buscando o gol. Aos 33 minutos, o árbitro marcou toque de mão da jogadora gremista dentro da área. Gabi Nunes – que entrou no segundo tempo – cobrou no lado esquerdo e a goleira Raísa defendeu. Aliás, a guarda-metas do Grêmio atuou muito bem na partida e foi um dos nomes de destaque do time.

+ Poucos registros, muita história: futebol feminino terá dérbi após 20 anos

Com a vitória do Timão, teremos um Dérbi feminino na semifinal pela 1ª vez – no novo formato do Campeonato Brasileiro desde 2013 -, colocando frente a frente Corinthians e Palmeiras em um dos clássicos mais tradicionais da capital paulista.

Avaí/Kindermann determinado

A equipe de Caçador/SC, se classificou em 6º lugar para jogar as quartas-de-final do campeonato e seu adversário foi o Internacional, com a 3ª melhor campanha da primeira fase.

(Foto: Mari Capra)

Depois de sair com a vitória em cima das Gurias Coloradas na Ressacada, por 3×2, o Avaí/Kindermann foi ao Beira-Rio com a vantagem do empate, mas sabendo que o jogo seria muito disputado. E assim foi. A equipe visitante ainda entrou em campo sem uma das peças fundamentais da equipe, a goleira Bárbara, que testou positivo para a Covid-19 e foi afastada da equipe.

O jogo de volta não saiu do zero no primeiro tempo, mas na etapa final, logo aos 6 minutos, Byanca Brasil tentou finalizar, mas foi travada. No rebote, Jheniffer concluiu – a bola parou no travessão e no chão antes de ultrapassar a meta do Avaí/Kindermann – e assim o Inter saiu na frente.

Em busca do gol decisivo, as catarinenses passaram a tocar a bola e controlar as ações do meio-de-campo. Aos 36 minutos do 2º tempo, Julia Bianchi cobrou escanteio pelo lado direito e a atacante Lelê desviou para dentro da pequena área e foi Simeia quem completou, tirando da goleira colorada Yasmim. A camisa 19 marcou nos dois jogos do mata-mata.

Em sua campanha na primeira fase, o Avaí/Kindermann – comandado pelo experiente Jorge Barcellos – venceu 8 jogos, empatou 3 e perdeu 4. Foram 39 gols marcados e 12 sofridos. A artilheira da equipe na competição é Letícia Amador, com 10 gols.

São Paulo decisivo

Depois de empatar sem gols com o Santos no primeiro jogo, em casa, o Tricolor tinha a difícil missão de derrotar a equipe da Baixada Santista (2º colocado na primeira fase do Brasileiro) na Arena Barueri. No primeiro confronto, o time do Morumbi pressionou muito a saída de bola das Sereias da Vila, perdendo algumas chances claras de abrir o placar em casa.

(Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/ Santos FC)

Mas neste último domingo, o ataque são-paulino funcionou rápido, fazendo 1×0 aos 16 minutos com Jaqueline, que recebeu a bola, matou no peito e bateu no ângulo da goleira Michelle.

O Santos impôs pressão pra cima do São Paulo e Larissa perdeu duas chances claras de marcar. Uma de cabeça, mandando pra fora, e a segunda quando recebeu na frente da goleira Carla, mas finalizou para fora, beliscando a trave.

E, de tanto insistir no gol, o Santos levou um contra-ataque são-paulino puxado por Duda, aos 45 minutos finais. A camisa 10 entrou na área pelo lado esquerdo e sofreu pênalti. Na cobrança, a zagueira Thaís Regina fechou o placar em 2×0.

Na primeira fase, a equipe do técnico Lucas Piccinato se classificou na oitava colocação e venceu 8 jogos, empatou 3 e perdeu 4. Campanha idêntica ao Avaí/Kindermann, com diferença apenas nos números de gols marcados e sofridos. O São Paulo marcou 33 e sofreu 11. Já o Avaí Kindermann fez 39 e sofreu 12. A artilheira do time é a atacante Gláucia, com 8 gols.

Palmeiras preciso

Com a vantagem de ter vencido o primeiro jogo no Allianz Parque por 2×1, o Palmeiras foi até Araraquara disposto a conseguir a classificação diante da Ferroviária, a atual campeã brasileira.

(Foto: Tetê Viviani)

E a dificuldade apareceu ainda no primeiro tempo, quando a atacante Lurdinha foi expulsa após cometer pênalti. Aline Milene, a camisa 10 da Locomotiva marcou e deixou as Guerreiras Grenás na frente do placar.

Mesmo com uma jogadora a menos, a equipe palmeirense assustou a meta de Luciana quando Angelina deu um belo drible, mas finalizou pra fora. A Ferroviária também criou boas chances, mas as oportunidades pararam na goleira Vivi que garantiu boas defesas. 

Com o empate no placar agregado, a decisão foi para os pênaltis e o Palmeiras venceu por 4×2 – com a goleira Vivi defendendo a cobrança de Luana.

A equipe do treinador Ricardo Belli se classificou em 5º lugar para o mata-mata e fez sua campanha com 8 vitórias, 4 empates e 3 derrotas. As palestrinas marcaram 39 gols e sofreram 12. A artilheira do Palmeiras e do Brasileirão é Carla Nunes com 12 gols.

A CBF preparou um guia completo com informações sobre o histórico da competição (com times participantes, campeões e ranking de clubes) e detalhes sobre as equipes classificadas para o mata-mata, os elencos, partidas, curiosidades e muito mais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre as autoras

Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Renata Mendonça é apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras