Topo
Dibradoras

Dibradoras

Paulista feminino bate recorde de audiência, e final estará na TV aberta

Roberta Nina

28/10/2019 19h34

No próximo sábado (02/11), às 11h, São Paulo e Corinthians fazem o primeiro jogo da decisão do Campeonato Paulista. Pela primeira vez, as duas equipes se enfrentarão em uma final de estadual e os dois confrontos serão transmitidos de maneira inédita na TV aberta, por assinatura e em plataformas de Streaming.

Além da transmissão pelos canais oficiais da Federação Paulista de Futebol (no Facebook e YouTube) e da Rede Vida – que exibiu os jogos ao longo do campeonato – a TV Cultura e o SporTV também transmitirão ao vivo a decisão.

Outra grande conquista que envolve a final do 21º Campeonato Paulista da história é que os dois times brigarão pelo título dentro de seus estádios oficiais, como o Morumbi e a Arena Corinthians (no dia 16 de novembro).

Para a retirada dos ingressos (que são gratuitos nas duas finais), é só comparecer a um dos pontos de distribuição.

A audiência

O Campeonato Paulista é a competição mais longeva e equilibrada entre do país. O maior vencedor da competição é o Santos, com quatro títulos. Botucatu, Ferroviária e São José tem três títulos cada um.

Nos últimos anos, o torneio – que muitas vezes não era exibido em nenhum canal de TV – contou com a transmissão online de jogos e isso gerou um crescimento importante de audiência. Segundo dados da FPF TV, na comparação com 2018, a temporada deste ano já teve um aumento significativo no número de espectadores – cresceu 261%.

A audiência do feminino no ano passado foi de 1,1 milhão somados os jogos transmitidos. Desta vez, mesmo com a transmissão da TV (a Rede Vida mostrou boa parte dos jogos), a audiência online também foi significativa atingindo 2,9 milhões de visualizações (sem contar, obviamente, os dois jogos da final, que ainda não aconteceram).

Esse crescimento é também algo que tem despertado a atenção de veículos de mídia tradicionais, como foram os casos de SporTV e Cultura, que quiseram desta vez passar os jogos da decisão. No ano passado, foi a ESPN quem se interessou em transmitir as partidas que valeram o título, com Corinthians e Santos na disputa.

"A tecla que mais se bateu e se bate quando se fala no que falta para o futebol feminino alavancar e se desenvolver mais é a visibilidade. Então, é de extrema importância, em um momento como esse, em um ano em que o futebol feminino teve muita visibilidade e conseguiu trazer números de audiência e interesse relevantes, que o Campeonato Paulista, o mais tradicional do Brasil, tenha esse alcance de transmissão. Porque, muito mais do que ter essa visibilidade, é o que está sendo levado é apresentado nesse jogo. E vamos ter um dos maiores espetáculos do futebol feminino da história do Brasil e de  São Paulo", afirmou a diretora de futebol feminino da FPF, Aline Pellegrino.

Final Majestosa

O Corinthians é a equipe favorita. Sob o comando de Arthur Elias, o alvinegro vem de uma temporada incrível em 2019, totalizando 43 jogos sem perder. Foi vice-campeão brasileiro e campeão da Libertadores da América.

Com um elenco estrelado e entrosado, o Corinthians busca um título estadual inédito, já que o clube não tem histórico na modalidade desde 1997 (ano em que nasceu o Campeonato Paulista).

A campanha da equipe corintiana no estadual é avassaladora e invicta – sem empatar sequer um jogo. No total, são 18 jogos e 18 vitórias. Na semifinal, a vítima foi a Ferroviária, que foi eliminada sofrendo goleadas nos dois jogos: 4×0 na ida e 5×1 na volta.

Não é a toa que a artilheira da competição é Victoria Albuquerque, camisa 17 do Timão com 10 gols marcados. Depois dela, foi Millene quem marcou mais gols, sete no total.

O São Paulo chega como grande surpresa na final, já que a equipe do Morumbi reativou o futebol feminino depois de alguns anos de interrupção (a última vez foi em 2015, quando chegou à final do estadual e perdeu para o São José). Sob o comando de Lucas Piccinato, a equipe tricolor conquistou o principal objetivo do ano ao vencer a Série A2 do Campeonato Brasileiro e garantir vaga na elite do futebol feminino no próximo ano.

O elenco são-paulino foi montado no início deste ano e a grande estrela do time é a atacante Cristiane. Mesmo desfalcando a equipe por grande parte da temporada, a jogadora foi importantíssima para a remontada do time e por ser a atleta mais experiente do elenco.

A campanha do São Paulo no Paulista é bem positiva. Em 18 jogos, são 10 vitórias, 7 empates e apenas uma derrota. Na semifinal, a equipe do Morumbi eliminou a tradicional equipe do Santos com uma vitória por 3×2 e um empate por 2×2.

A artilheira da equipe na competição é Ottilia, com seis gols marcados. Na sequência aparece Valéria, com cinco.

No histórico da competição, o São Paulo tem dois títulos conquistados com um timaço montado na década de 1990, que tinha Sissi, Katia Cilene e companhia. O Tricolor já foi campeão do Paulista em 1997 e 1999 e volta a buscar um título após 20 anos.

Lista de todos os campeões paulistas de futebol feminino:

1997: São Paulo
1998: Portuguesa
1999: São Paulo
2000: Portuguesa
2001: Palmeiras
2004: Ferroviária
2005: Ferroviária
2006: Botucatu
2007: Santos
2008: Botucatu
2009: Botucatu
2010: Santos
2011: Santos
2012: São José
2013: Ferroviária
2014: São José
2015: São José
2016: Rio Preto
2017: Rio Preto
2018: Santos

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras