Topo
Dibradoras

Dibradoras

Corinthians chega a 28ª vitória, vai à semi e pode entrar no Guinness

Roberta Nina

21/08/2019 21h30

Foto: Bruno Teixeira

Nesta quarta-feira (21), o time feminino  se classificou para as semifinais do Campeonato Brasileiro após derrotar o São José por 1 a 0 no Parque São Jorge – as alvinegras já haviam vencido a Águia do Vale por 4×1 em São José dos Campos.

E, mais do que a classificação em busca do bicampeonato brasileiro, as mulheres do Corinthians podem ter alcançado um recorde mundial. Com uma sequência de 28 triunfos, o Corinthians teria se tornado a equipe que mais venceu partidas de maneira consecutiva no mundo, deixando para trás o feito que era do The New Saints, time do País de Gales, com 27 triunfos seguidos e registrado pelo Guinness Book. O time corintiano, aliás, já detinha o recorde do futebol brasileiro, que antes era de 24 vitórias conquistadas pelo Coritiba em 2011. 

O recorde mundial só não foi confirmado ainda porque o Lyon solicitou uma revisão ao Guinness nesta semana. O clube francês alega ter uma sequência de 48 vitórias – mas, uma delas, teria sido conquistada na prorrogação, o que, pelos critérios tradicionais, não contaria nesse caso (seriam considerados apenas triunfos nos 90 minutos). Segundo o Corinthians, uma equipe do Guinness Book acompanhará o próximo jogo da equipe feminina como parte do processo de averiguação do recorde.

De todas as formas, é importante ressaltar o feito dessa equipe comandada por Arthur Elias desde 2016 – o Corinthians não sai derrotado de campo desde o dia 21 de março, quando perdeu por 2×1 para o Santos, na segunda rodada do Brasileirão. Dali em diante, somente vitórias.

(Foto: Mauro Horita)

A equipe paulista soma 16 vitórias em 17 jogos no Campeonato Brasileiro, sofrendo apenas uma derrota. Foram 57 gols marcados e seis sofridos, sendo o time com melhor ataque e melhor defesa. A artilheira da competição é Millene, convocada para a Seleção Feminina, com 19 gols. Foi dela, inclusive, o gol da vitória desta quarta-feira no Parque São Jorge. A atacante aproveitou a bola que escapou da zagueira e emendou um chute para balançar as redes aos 20 minutos do primeiro tempo. 

Uma fase tão boa não poderia resultar em outra coisa: Millene foi uma das convocadas por Pia Sundhage para representar a seleção brasileira no torneio amistoso que será disputado no Pacaembu na próxima semana.

Foto: Bruno Teixeira

"É uma fase inexplicável, fico feliz por estar num momento bom com o Corinthians, mais feliz ainda pelo resultado. Fico feliz por tudo o que a equipe vem fazendo, tem muito mérito, muita dedicação para isso. O atleta sempre almeja vestir a camisa amarela, no meu caso não é diferente. Estava trabalhando para isso. Fiquei muito contente quando saiu a convocação", afirmou a atacante em entrevista às dibradoras.

O Corinthians teve alguma dificuldade para controlar o resultado na segunda etapa e recuou um pouco, deixando o São José crescer na partida. Nos minutos finais, a goleira Taty Amaro fez uma defesaça para salvar o time do empate – e garantir o recorde. No agregado, a equipe alvinegra somou 5 a 1 e não teve ameaças para assegurar a classificação.

Para o técnico Arthur Elias, o desafio tem sido manter o nível do time com a sequência de lesões que a equipe enfrentou nesta temporada. São desfalques importantes, como o das atacantes Adriana e Gabi Nunes, o da meio-campista Cacau, entre outras atletas que eram importantes para o esquema dele no Corinthians. Desta forma, a solução do treinador foi usar a versatilidade das jogadoras disponíveis em campo: hoje, Gabi Zanotti, que é meio-campista e joga de "10 clássica", atuou no ataque. A lateral esquerda Tamires jogou mais solta também pelo meio-campo. E mesmo com as ausências, o Corinthians conseguiu mais um resultado positivo.

"Acho que pelo desempenho, a gente está muito forte. Sinto uma equipe muito unida, com identidade de jogo bem definida, a gente tem muita alternativa de mudança, fazemos isso com muita qualidade. A equipe está muito bem mentalmente, estamos muito preparados para os principais objetivos que são chegar nas finais em todas as competições. O calendário é maluco, foi um desafio para nós buscar esses resultados. Mas a gente nem pensou no recorde, chegamos a esse número pelo trabalho, por pensar sempre em ganhar todos os jogos. É o melhor grupo que eu já comandei", atestou.

"Precisei trabalhar com jogadoras em posições que eu não esperava. Porque o número de lesões foi alto. Gabi Nunes, Diany, Marcela, Adriana, quatro jogadoras de qualidade que jogam do meio para frente. Tivemos que adaptar um pouco. Mas o grupo tem uma identidade, todo mundo entende bem a maneira de jogar. É um desafio para mim como treinador, mas temos tido um resultado legal."

Com a vitória, a equipe de Arthur Elias chega à semifinal do Brasileiro e espera o vencedor de Flamengo ou Internacional para as semifinais.

 

 

 

 

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Mais Dibradoras