Topo
Dibradoras

Dibradoras

Em jogo com erros de arbitragem, São Paulo elimina Palmeiras e vai à final

Roberta Nina

11/08/2019 17h19

Foto: São Paulo FC

O São Paulo será o adversário do Cruzeiro na final do Campeonato Brasileiro Feminino A2. O Tricolor Paulista foi até Vinhedo enfrentar o Palmeiras com a vantagem de 1×0 conquistada no primeiro jogo, no Pacaembu. E o jogo decisivo foi pegado, quente e com erros de arbitragem que determinaram o resultado final em 1×1.

Empate classificou o São Paulo

Jogando em casa, no estádio Nelo Bracalente, o Palmeiras contou com o apoio da torcida e foi pra cima do rival logo no início de jogo. As duas equipes estavam muito intensas e, em campo, e a árbitra Fernanda de Souza deixou de marcar faltas claras e duras para as duas equipes.

O Palmeiras perdeu boas oportunidades com Maressa e Bianca. Ainda no primeiro tempo, Bianca, do time alviverde, e Valéria, do São Paulo, foram advertidas com o cartão amarelo.

A equipe da casa era dominante no primeiro tempo até a parada técnica. Depois do reinício da partida, aos 32 minutos, o São Paulo saiu na frente. Em cobrança de falta de Natane direto pro gol, a goleira palmeirense Jully não conseguiu defender e, no rebote, Cris estava lá para marcar de cabeça.

Poucos minutos depois, a atacante Carla sofreu pênalti de Cris e ela mesma partiu para a cobrança, empatando a partida. Carla é uma das artilheiras do campeonato e esse foi o 14º gol marcado por ela – o mesmo número de gols de Karina do Grêmio.

Foto: Bruno Ulivieri/Palmeiras

O jogo seguiu pegado e a árbitra amarelou duas jogadoras do Palmeiras (Samara e Nicoly) e Ary Borges do São Paulo. O time da casa era bem mais intenso, mas foi o São Paulo quem perdeu uma chance clara de acabar o primeiro tempo na frente do placar. Cris perdeu um gol debaixo da trave e a primeira etapa terminou empatada.

No segundo tempo, a goleira Jully do Palmeiras começou a ser mais exigida e fez duas belas defesas, evitando chances claras de gol.

Durante toda a partida e mesmo distribuindo alguns cartões amarelos na primeira etapa, a arbitragem deixou o jogo correr e não marcou faltas claras que aconteceram para os dois lados. Quase na metade do segundo tempo, a árbitra Fernanda de Souza expulsou a palmeirense Samara por ter levantado o pé no momento de disputar a bola – o lance foi bastante questionado pelas palmeirenses, que não viram o mesmo critério da arbitragem ser aplicado em um lance parecido do lado são-paulino momentos antes. Samara já tinha o amarelo, tomou mais um nesse lance e acabou expulsa por isso.

Foto: São Paulo FC

Mesmo com uma a menos em campo, o Palmeiras era dominante. Em um avanço, Carla sofreu pênalti claro, mas a árbitra não marcou, gerando muita revolta nas jogadoras, no treinador Ricardo Belli e na torcida palmeirense. Seria a chance do time alviverde sair na frente e levar a partida para a disputa por pênaltis.

O São Paulo passou a defender de todas as formas e pouco levou perigo ao Palmeiras. Apenas o chute de Nicolly parou no travessão da goleira alviverde. Já as donas da casa, pressionaram demais durante toda a segunda etapa. A atacante Carla ainda perdeu um gol feito, cara a cara com a goleira são-paulina, mas acabou finalizando pra fora.

Mesmo com oito minutos de acréscimo e buscando o gol a todo instante, o jogo acabou empatado em 1×1, garantindo o São Paulo na final do Brasileiro A2.

Foto: Bruno Ulivieri/Palmeiras

Na saída de campo, a atacante Carla declarou que a arbitragem prejudicou o time palmeirense e ressaltou o espírito de luta de suas companheiras. "Eu sofri o pênalti. A árbitra achou que eu escorreguei, mas houve o toque. Mais uma vez a gente foi prejudicada pela arbitragem, mas independente disso, nosso time foi muito guerreiro."

Cruzeiro x São Paulo na final 

A decisão do título Brasileiro A2 será disputada entre a equipe mineira do Cruzeiro e a paulista do São Paulo. Datas ainda serão confirmadas, mas o primeiro jogo provavelmente será dia 18 de agosto, e o São Paulo estuda a possibilidade de levá-lo para o Morumbi, na prévia de São Paulo e Ceará no Brasileiro Masculino. A segunda partida deverá ser no dia 24 de agosto, em Belo Horizonte, com o Cruzeiro também tentando levar a decisão para um estádio maior, seja Mineirão ou Independência.

O Cruzeiro decidirá em casa por ter a vantagem de ter vencido os dois confrontos da semifinal diante do Grêmio.

 

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Mais Dibradoras