Topo
Dibradoras

Dibradoras

São Paulo vence Taubaté e se garante na 1ª divisão do Brasileiro feminino

Renata Mendonça

20/07/2019 18h18

Foto: Rubens Chiri / SPFC

O São Paulo entrou em campo neste sábado com a desvantagem de ter perdido por 1 a 0 o jogo de ida das quartas de final da Série A2 do Brasileiro feminino. Mas com gols de Bruna, Ary e Valeria, a equipe tricolor garantiu a vitória por 3 a 0 na partida de volta no Pacaembu e assegurou a vaga na primeira divisão nacional para o próximo ano.

Esse era o grande objetivo do time que foi formado no início deste ano em cumprimento à obrigatoriedade da Conmebol e teve uma contratação de peso para o projeto: a artilheira da seleção brasileira, Cristiane. Só que a atacante acabou se machucando na Copa do Mundo e não pode estar em campo neste sábado. Ainda assim, esteve no Pacaembu e comemorou muito com as atletas o acesso – foi também muito tietada pelos torcedores ao final da partida.

O jogo começou truncado, mas aos poucos o São Paulo foi encaixando seu jogo e chegando mais à área adversária. O gol viria aos 19 minutos em cobrança de pênalti de Bruna.

À frente no placar, o São Paulo se sentiu mais à vontade no jogo e seguiu atacando. As principais jogadas ofensivas da equipe passavam pelos pés da camisa 10 Ary. E foi justamente dela o segundo gol no Pacaembu, ainda no primeiro tempo. Ela aproveitou o cruzamento de Ottilia e empurrou para as redes.

Com esse resultado, o São Paulo já garantia a vaga na série A1, mas ainda teve tempo para mais na segunda etapa. O time comandado por Lucas Piccinato foi pra cima e não saiu do campo de ataque. Teve chance em cobrança de falta de Natane, no travessão, e depois na jogada de Jaqueline pelo lado direito. O gol sairia dos pés de Valeria, numa jogada linda em velocidade. A atacante recebeu já partindo em direção ao gol, tirou da goleira e chutou para o fundo das redes.

O jogo terminou com 3 a 0 para o São Paulo e muita comemoração da torcida presente no Pacaembu. O público apoiou demais as jogadoras e gritou com elas: "Uh! É série A1" ao final.

Agora, garantido nas semifinais do torneio, o São Paulo espera o vencedor de Palmeiras e Chapecoense neste domingo para saber qual será seu adversário na próxima fase – as palmeirenses venceram o jogo de ida por 2 a 0.

Foto: Rubens Chiri / SPFC

Objetivo alcançado

O técnico Lucas Piccinato reforçou ao final do jogo que esse era o grande objetivo do time para esta temporada e parabenizou as atletas pela conquista.

"O foco era esse, nós estamos bem no Paulista também, mas nosso objetivo era colocar o São Paulo na primeira divisão. Esse grupo é maravilhoso e conseguiu colocar em prática tudo o que a gente trabalhou. Agora é buscar o título. Jogar aqui no Pacaembu é legal demais porque chama mais gente, as famílias, é muito importante o que o torcedor são-paulino fez hoje aqui, de participar do jogo e a gente espera na próxima fase contar de novo com esse estádio e com o apoio do torcedor", afirmou o técnico às dibradoras.

Capitã do time, Ary também elogiou o desempenho do time e prevê mais um grande desafio na semifinal.

"A gente não tinha outro pensamento que não vir aqui na nossa casa e conseguir o acesso. Esse grupo merece demais, agora independentemente de quem vier na semi, vai ser um grande jogo e vamos com tudo em busca do caneco", disse.

Foto: Rubens Chiri / SPFC

Luta pelo futebol feminino

Nesta semana, muitas atletas se manifestaram pedindo respeito pelo futebol feminino diante de diversos problemas de organização do Campeonato Brasileiro e também da pouca estrutura oferecida por alguns clubes às mulheres. Ari fortaleceu esse discurso e disse que é o momento de "quem ama o futebol feminino assumirem o comando dele".

"Acho que está na hora de as pessoas que trabalham com o futebol feminino serem pessoas que realmente amam o esporte. Está na hora dessas pessoas tomarem conta do futebol feminino. Está maravilhoso o tanto de atletas que têm se posicionado e acho que é isso, dar a cara a tapa, mostrar que a gente quer mais. Falo porque sou da nova geração, uma geração que quer ser campeã do mundo e quer revolucionar o futebol feminino. Se não for pra nós, que seja para as que vierem depois", falou Ary.

O técnico tricolor também reforçou a importância da união das atletas nesse momento.

"Acho muito importante as atletas se posicionarem, acho que o futebol feminino vai realmente mudar quando todas se unirem, quando a modalidade como um todo se unir e buscar melhorias. Acho muito importante essa cobrança para que haja respeito com o futebol feminino, porque boas jogadoras a gente tem".

A definição do adversário do São Paulo nas semifinais será neste domingo. Palmeiras e Chape se enfrentam em Vinhedo às 14h com transmissão da TV Palmeiras.

Sobre as autoras

Renata Mendonça é jornalista, são-paulina, e apaixonada por esporte desde que se conhece por gente. Foi em um ~dibre desses da vida que conseguiu unir trabalho e paixão sendo jornalista esportiva. Hoje, sua luta é para que mais mulheres consigam ocupar esse espaço. Angélica Souza é publicitária, de bem com a vida e tem um senso de humor que, na maioria das vezes, faz as pessoas rirem. Alucinada por futebol - daquelas que não pode ver uma bola que já sai chutando - sabe da importância e responsabilidade de ser uma mulher com essa paixão. Nas costas, gosta da 10, e no peito, o coração é verde e branco e bate lá na Turiassú. Roberta Nina é aquariana por essência, são-paulina por escolha e jornalista de formação. Tem por vocação dar voz às mulheres no esporte.

Sobre o blog

Futebol não é coisa de mulher. Rugby? Vocês não têm força para jogar... Lugar de mulher é na cozinha, não no campo, na quadra, na arquibancada. Já ouviu isso muitas vezes, né?! Mas o ~dibradoras surgiu para provar justamente o contrário. Mulher pode gostar, entender e praticar o esporte que quiser. E quem achar que não, a gente ~dibra ;)

Dibradoras